O turismo sustentável tem como principal característica a preocupação com o número de visitantes, o que vai na contramão do turismo de massa. Esse cuidado se dá justamente à preservação do local visitado, em uma gestão que engloba a preservação local, o desenvolvimento da população no entorno e a minimização dos impactos da atividade.

 

De acordo com as informações disponíveis no site Sustainable Tourism, as viagens internacionais aumentaram de 25 milhões em todo o mundo em 1950, para 278 milhões em 1980, 527 milhões em 1995 e 1,32 bilhões em 2017. Espera-se que esta movimentação internacional atinja 1,8 bilhão até 2030.

Estudos apontam que em 2050, a mudança climática poderia levar diretamente à extinção de 30% das espécies, à morte de 90% dos recifes de corais e à perda de metade da floresta amazônica. Desde 1970, um terço do mundo natural foi destruído pela atividade humana. Quase 2/3 são degradados pela atividade humana.

Mas como tornar as suas férias sustentáveis? O turismo nunca será uma atividade totalmente sustentável, já que todo setor tem impactos. Porém, existem práticas e atitudes que todos podemos tomar para tonar o turismo mais sustentável.

Opte por acomodações e operadores turísticos locais que utilizem práticas para garantir a preservação local, o desenvolvimento das comunidades onde atuam e a minimização dos impactos da atividade no meio ambiente de forma geral. O respeito dos fornecedores à cultura local é um ponto importante à ser mencionado, pois além do bem estar social, garante que o destino continue a ter sua autenticidade e identidade preservados.

Singita Lebombo

Dedicado à hotelaria ambientalmente consciente, à conservação sustentável e ao empoderamento das comunidades locais, o Singita possui lodges de luxo na África e baseia suas ações em três pilares: biodiversidade, comunidade e sustentabilidade. Nesta foto, o Singita Lebombo Lodge, na África do Sul | Foto: Singita

Outras práticas individuais que fazem toda a diferença durante a sua estadia são: passeios ecológicos (opte fazer um passeio de bicicleta pela cidade ao invés de usar uma scooter, por exemplo); carregar sua própria garrafa reutilizável ao invés de comprar novas garrafas de água a cada passeio; adquirir produtos e alimentos de produção local; e claro, não deixar o lixo produzido durante trilhas, visitas a praia e afins, nem tirar nada da natureza, apenas fotos.

Ecotourism Certified

Lizard Island, na Grande Barreira na Austrália, possui o certificado Advanced Ecotourism e faz parte de um sistema de gestão ambiental chamado GreenPath, que busca amenizar os impactos ambientais de suas operações, incluindo o uso de água e energia, embalagem, iluminação, resíduos e produção de alimentos | Foto: Luxury Lodges of Australia

Nos dias atuais, algumas operadoras de ecoturismo já possuem uma contribuição opcional que o viajante pode fazer ao adquirir o pacote de viagem. Esse valor é destinado à ações que minimizam o impacto ambiental no destino. Mais uma opção aos que desejam participar de outras formas.

Organizações como o Pack for a Purpose fazem o intermédio com as comunidades locais e listam necessidades que estas possuem, facilitando para que o viajante que deseja expandir sua gratidão ao destino visitado contribua com algum tipo de doação.

Podemos dizer que um grande mito do turismo sustentável é que este é realizado somente pelos mais jovens, em estilo mochilão. Diversas redes de hotéis adotam práticas favoráveis ao meio ambiente sem deixar de oferecer especial atenção e total conforto aos seus hóspedes. Redes que entenderam a importância de ações que vão garantir sua sobrevivência, da sua comunidade e de seu ambiente natural.

Zil Pasyon Seychelles

Com cerca de 50% de sua área terrestre preservada, Seychelles tem uma preocupação legítima com a natureza. O turismo sustentável é muito incentivado, resultando em um dos locais mais bem conservados do mundo, com uma diversidade impressionante de fauna e flora. | Foto: Six Senses Zil Pasyon

Elewana Collection

Seguindo os passos dos principais operadores na África, o Elewana aposta em programas sociais e ambientais, oferecendo suporte e capacitação às comunidades além de programas de preservação de espécies ameaçadas. | Fotos: Elewana Collection

Um dos exemplos de produto turístico que tem sustentabilidade em seu DNA são os hotéis-experiências Explora. Sua política é baseada em três pilares principais: compromisso com o meio ambiente, apoio e envolvimento com as comunidades locais e investigação. Acreditando na preservação para as gerações futuras e conscientes da fragilidade dos ambientes onde operam, o plano para a sustentabilidade não é apenas um esforço, e sim um compromisso corporativo.

 

Como ser um viajante responsável

  • Seja atencioso com as comunidades e o ambiente que você visita.
  • Não jogue lixo.
  • Leve sacolas de compras dobráveis para evitar contribuir para o problema do plástico em muitos países do mundo.
  • Tente evitar o desperdício excessivo e o uso de garrafas plásticas. Em muitos países, não há maneira de descartá-las, criando montanhas de plástico. Uma alternativa é levar suas próprias garrafas reutilizáveis e considere purificar a própria água, removendo todas as embalagens antes de sair de casa.
  • Reduza o consumo de energia. Desligue o carregador do seu celular, apague as luzes…
  • Conserve a água, tomando banhos mais curtos. Em média um hóspede usa mais de 300 litros de água por noite. Em um hotel de luxo o uso para para aproximadamente 1800 litros!
  • Sempre pergunte antes de tirar fotografias. Se alguém disser não, respeite.
  • Eduque-se sobre o lugar que você está visitando e as pessoas.
  • Respeite as diferenças culturais e aprenda com isso! As pessoas fazem as coisas de maneira diferente; não tente mudá-las e sim aceite-as.
  • Vista-se de acordo com lugar visitado. Cubra-se quando sair da praia. Observe os códigos de vestuário locais (como por exemplo, cobrir a cabeça em lugares religiosos) e respeite-os.
  • Não compre ou coma espécies ameaçadas (por exemplo, sopa de ovo de tartaruga, bolsas de crocodilo). Escolha frutos do mar sustentáveis. O Seafood Watch, o FishPhone e Safe Seafood são aplicativos que indicam espécies de peixe vendidas no local e se estão ameaçadas.
  • Apoie a economia local. Compre lembranças feitas localmente, coma em restaurantes locais – aproveite a cultura local!
  • Não dê canetas, doces ou outros presentes para crianças locais – isso estimula uma economia de mendicância. Quer fazer uma doação? Entre em contato com uma escola ou um operador turístico que possam indicar e garantir que a doação sejam distribuídas de forma justa e adequada.
  • Não apoie o comércio ilegal de drogas ou o comércio sexual.
  • Quando seguro, experimente o transporte local. Ou, se o carro for imprescindível, por que não um híbrido ou elétrico?
  • Antes de iniciar a viagem, consulte o seu agente de viagem sobre as políticas ambientais e de turismo responsável da empresa. Apoie quem também apoia o turismo responsável.
  • Pergunte ao hotel que escolher quais as práticas de sustentabilidade que eles empregam. Reciclagem? Leis trabalhistas justas? Uma política ambiental?
  • Apoie organizações de turismo responsável, que visam tornar o turismo mais responsável publicamente.

 

Uma solução?

Embora nem tudo dependa do turismo, o turismo depende de quase tudo. O turismo sustentável tem a ver com o foco e a adaptação. Um equilíbrio deve ser encontrado entre os limites e o uso, para que a mudança contínua, o monitoramento e o planejamento garantam que o turismo possa ser gerenciado.

Isso requer pensar a longo prazo (10, 20, 30, 100 anos) e perceber que a mudança é muitas vezes cumulativa, gradual e irreversível. Os aspectos econômicos, sociais e ambientais do desenvolvimento sustentável devem incluir os interesses de todas as partes interessadas, incluindo povos indígenas, comunidades locais, visitantes, indústria e governo.

A mudança começa com cada um de nós fazendo a sua parte, mesmo quando estamos nos divertindo!

Dica: Comece suas férias conscientes em casa! Antes de sair, verifique se todos os equipamentos elétricos estão desligados da tomada e se não há vazamentos de água ou torneiras e chuveiros pingando. Se você tem um sistema de água quente a gás, pode alterar a configuração para mais baixo ou desligá-lo completamente.

Uma viagem sustentável não significa visitar apenas destinos imersos e ligados à natureza. Práticas como as que mencionamos fazem diferença em qualquer lugar que visitarmos e são sempre bem-vindos. Consulte o seu agente de viagens e converse com ele sobre as melhores opções para o seu próximo destino.