Paul Gauguin, cruzeiro de luxo pela Polinésia Francesa: Huahine & Taha’a

Continue acompanhando a minha viagem pela Polinésia Francesa, a convite da Qualitours, agora conhecendo um pouco do meu dia a dia a bordo do Paul Gauguin. 

 

Vida a bordo

  • Perdeu o primeiro post sobre a minha chegada na Polinésia Francesa e embarque no Paul Gauguin? Clique aqui!

 

HUAHINE

Localizada a 175 km de Papeete, a ilha é composta por duas cordilheiras: Huahine Nui (grande) e Huahine Iti (pequena) e é conhecida como a “Ilha Jardim” por suas florestas tropicais.

Paul Gauguin_Tahiti

Vista da ilha de Huahine da varanda da cabine – Foto de Lilian Duarte

 

Após um café da manhã no restaurante Le Grill, peguei o tender (barco de apoio que conecta o navio aos píeres da ilhas) Paul Gauguin até o píer de Huahine para conhecer a ilha. O tender fica disponível durante todo o dia, das 8h30 às 16h, oferecendo a possibilidade dos passageiros visitarem a ilha no momento que acharem mais interessante.

  • Um restaurante mais casual e descontraído, o Le Grill está localizado junto ao deck da piscina e serve café da manhã – buffet continental e americano -, almoço e jantar inspirados na culinária local (necessário reserva para o jantar). Diariamente, um “Chá da Tarde”, de 16h às 17h, é servido no restaurante acompanhado de sanduíches, frutas frescas, biscoitos e bolos.

No píer de Huahine, um ônibus aguardava para levar-nos até o centro da cidade Fare, onde se encontra as principais praias, hotéis, lojas e atrações turísticas.

Polinésia Francesa_Tahiti

Restaurante Le Grill – Foto cortesia Paul Gauguin Cruises

Paul Gauguin_Tahiti

Chegada ao píer de Huahine – Foto de Lilian Duarte

Paul Gauguin_Tahiti

Huahine – Foto de Lilian Duarte

Paul Gauguin_Tahiti

Ponto de chegada no centro de Fare, Huahine – Foto Lilian Duarte

 

Em Huahine, é possível explorar os sítios arqueológicos sagrados, que estão entre os mais bem preservados da Polinésia Francesa, assim como fazer uma expedição de mergulho ou snorkel para ver a vida marinha nas lagoas. Para aqueles que não são fãs de muita aventura, um piquenique em uma ilha privada nas redondezas de Huahine, para momentos românticos, fica como uma sugestão também.

Paul Gauguin_Tahiti

Praia de Fare, Huahine – Foto de Lilian Duarte

 

Por ser domingo o dia de visita à ilha, o comércio da cidade estava fechado, encontrando-se aberto apenas alguns restaurantes. Uma dica é passar a manhã na praia de águas turquesa de Huahine e à tarde aproveitar de uma leitura na piscina, desfrutando do “drink do dia” ou de alguma atividade mais relaxante a bordo do cruzeiro, caso queira descansar do longo voo do dia anterior.

Paul Gauguin_Tahiti

Centro comercial de Fare, Huahine – Foto de cortesia Lilian Duarte

 

Na segunda noite, acontece a Festa de Boas-Vindas do capitão Davor Ljutic, que iniciou com a história e exibição das obras de arte do pintor francês, que morou e faleceu na Polinésia Francesa, e leva o nome do cruzeiro, Paul Gauguin. Em seguida, a tripulação do navio é apresentada e o capitão Davor dá as boas-vindas oficiais a bordo.

A noite termina com um show de músicas e danças da Polinésia Francesa.

Paul Gauguin_Tahiti

Exibição e representação viva de um dos famosos quadros “Ta Matete”, do pintor francês Paul Gauguin – Foto de Lilian Duarte

Paul Gauguin_Tahiti

Apresentação da tripulação na Festa de Boas-Vindas oficiais do capitão Davor Ljutic – Foto de Lilian Duarte

 

TAHA`A

O terceiro dia a bordo do Paul Gauguin começa na ilha de Taha`a. Dentro da mesma barreira de corais de Raiatea, a pequena ilha de Taha`a tem pouco mais de 4 mil habitantes, que vivem vidas tranquilas, pescando e criando gado.

Chamada também de “ilha da baunilha”, por suas numerosas plantações, o dia em Taha`a foi um dos ápices da viagem a bordo do navio, na minha opinião.

Paul Gauguin_Tahiti

Vista de Taha’a a bordo do navio – Foto de Lilian Duarte

 

O Paul Gauguin preparou um dia especial no paraíso particular de Motu Mahana (pequena ilha na costa de Taha’a). O primeiro tender de barco saiu às 10h15 e, ao chegar no Motu, fomos recebidos com musica polinésia, coco e água para nos refrescarmos do calor.

Paul Gauguin_Tahiti

Vista aérea do Motu Mahana, ilhéu privado e exclusivo do Paul Gauguin – Foto cortesia de Paul Gauguin Cruises

Paul Gauguin_Tahiti

Chegada ao Motu Mahana, em Taha’a – Foto de Lilian Duarte

 

A ilha, mesmo sendo bem pequena e com um ar selvagem, oferece toda a estrutura que se precisa, como cadeiras de praias, quiosque para bebidas e refeições, e toaletes masculinos e femininos. Há uma extensa programação, podendo-se aproveitar de diferentes atividades, como snorkel, caiaque, vôlei de praia, badminton, além também de curtir a música e dança polinésia ao longo do dia, e aprender a fazer o Poisson Cru, uma salada e prato tradicional da Polinésia Francesa.

Além das atividades, um saboroso almoço foi preparado para todos na praia. Os chefs dos restaurantes do Paul Gauguin também desembarcaram na ilha e prepararam um delicioso buffet de churrasco na hora do almoço.

Paul Gauguin_Tahiti

Os embaixadores Les Gauguines & Gauguins ensinando a preparar a salada típica da Polinésia Francesa, Poisson Cru – Foto de Lilian Duarte

Paul Gauguin_Tahiti

Prato típico da Polinésia Francesa, Poisson Cru – Foto de Lilian Duarte

Paul Gauguin_Tahiti

Snorkel e caiaque nas águas do Motu Mahana, em Taha’a – Foto de Paul Gauguin Cruises

Paul Gauguin_Tahiti

Foto no ilhéu privado e exclusivo do Paul Gauguin – Foto de Lilian Duarte

 

O dia foi incrível! Praticamente todos os passageiros do navio desembarcaram, interagiram entre si e aproveitaram em conjunto de um dia inesquecível nessa particular e exclusiva ilha do Paul Gauguin.

À noite, apreciei de um delicioso jantar no Le Veranda, comandado pelo chef Jean-Pierre Vigato – chef proprietário do restaurante de duas estrelas Michelin, Apicius, em Paris -, onde é possível comer na aérea interna, mas também na varanda, sentindo o ar fresco do clima polinésio.

  • O Le Veranda serve café da manhã e almoço com opções continentais, mas a noite vira um típico restaurante de culinária francesa com vinhos selecionados (necessário reservar mesa para o jantar).
Paul Gauguin_Tahiti

Aérea externa do restaurante francês Le Veranda, com vistas para as águas da Polinésia – Foto cortesia de Paul Gauguin Cruises

No próximo post, encerro minha viagem a bordo do Paul Gauguin, na Polinésia Francesa, visitando Bora Bora e Moorea. Continue acompanhando, que contarei mais detalhes e dicas dos dias nessas famosas ilhas.

Leia mais:

 

E, se você quiser ter as mesmas experiências ou saber mais informações sobre a Polinésia Francesa, entre em contato com o seu agente de viagem para montar um roteiro de acordo com as suas necessidades. Acesse o link a seguir para ter uma ideia de algumas opções de roteiro a bordo do Paul Gauguin que você pode fazer.

Copyright © 2017. Agência de Viagens Kangaroo. Todos os direitos reservados.